Diferenças metabólicas e cerebrais em gêmeos idênticos com diferentes hábitos de atividade física.

Estudo realizado na Finlândia mostra diferenças metabólicas e cerebrais em gêmeos idênticos (monozigóticos) que possuíam diferentes hábitos de atividade física, eliminando assim a influência da carga genética nos resultados. Confira:

Objetivo:
O principal objetivo do presente estudo foi investigar como nível de atividade física está associado com a composição corporal, a homeostase da glicose, e morfologia do cérebro em jovens adultos do sexo masculino, gêmeos monozigóticos, porém com hábitos diferentes em relação à atividade física.

Métodos:
A partir de um estudo de coorte de base populacional com gêmeos, foram selecionados sistematicamente pares de gêmeos monozigóticos, do sexo masculino, de 10 adultos jovens (faixa etária: 32-36 anos), com diferentes hábitos em relação à atividade física nos últimos 3 anos. Foram realizadas extensas aferições sobre a composição corporal (incluindo o percentual de gordura medido pela absorciometria por raio X com dupla energia), homeostase da glicose (incluindo o Modelo de Avaliação da Homeostase, mais conhecido como índice HOMA) e índice de sensibilidade à insulina (índice Matsuda, calculado a partir de valores de glicose e insulina a partir de um teste de tolerância oral à glicose) e, em todo o cérebro, ressonância magnética para análise de volumetria regional.

Resultados:
De acordo com a análise dos pares, os gêmeos ativos tiveram menor percentual de gordura corporal (P = 0,029), menor índice de modelo homeostático avaliação (P = 0,031) e maior índice Matsuda (P = 0,021), em comparação com os seus colegas de inativos gêmeos. O volume de matéria cinzenta no Corpo Estriado e no Córtex Pré-Frontal (giro frontal inferior e subgiral) eram maiores no hemisfério não dominante dos gêmeos ativos comparados com os co-gêmeos inativos, com um limiar estatístico de P <0,001.

Conclusões:
Entre adultos saudáveis gêmeos do sexo masculino em seus 30 e poucos anos, um maior nível de atividade física está associada com a melhoria da homeostase da glicose e na modulação do volume de substancia cinzenta no Corpo Estriado e Córtex Pré-frontal, independente da base genética. Os resultados desta pesquisa podem contribuir para a redução de futuros riscos de Diabetes tipo 2 e limitações de mobilidade.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25003773

Compartilhar no Google Plus
Em busca de novos conhecimentos!
    Comentar com Facebook
    Comentar com Blogger

0 comentários:

Postar um comentário

Por favor, não utilize palavras feias. Obrigado.