O papel do fisioterapeuta no procedimento de intubação

O procedimento de intubação é um ato médico, porém o fisioterapeuta é parte atuante do processo, pois ele é o responsável pela ventilação do paciente.



A intubação endotraqueal é um procedimento de suporte avançado de vida, onde o médico, com a ajuda de uma laringoscópio, visualiza a laringe e através dele introduz um tubo na traquéia (tubo endotraqueal) . Tal tubo será utilizado para auxiliar a ventilar o paciente, pois, possibilita que seja instituída a ventilação mecânica, ou seja a ventilação dos pulmões através do uso de aparelhos.


Está indicada em casos em que há necessidade de proteção das vias aéreas (pacientes com Glasgow ≤ 8), hipoxemia refratária, parada cardiorrespiratória, necessidade de assistência ventilatória prolongada ou controle de ventilação pulmonar, condição que pode cursar com obstrução de vias aéreas (anafixalia, infecções e queimaduras de vias aéreas) e outros.

No que se relaciona ao procedimento, é descrito que uma vez decidido pela intubação endotraqueal, é fundamental que a mesma esteja amparada por uma equipe bem treinada que envolve, além do médico, um fisioterapeuta, um enfermeiro e dois auxiliares de enfermagem.

O procedimento de intubação é um ato médico, porém o fisioterapeuta é parte atuante do processo, pois ele é o responsável pela ventilação do paciente. É ele quem vai preparar o ventilador mecânico e ajustar os parâmetros iniciais, realizar a pré-oxigenação do paciente artificialmente (com ambu e reservatório) nos casos de inconsciência ou sedação e testar o balonete da prótese endotraqueal.

Assim que o médico introduzir o tubo, o fisioterapeuta verifica a posição deste através de ausculta bilateral do tórax e tórax e do epigástrio. Estando a posição do tubo adequada, insufla o balonete com cinco a dez mililitros de ar e assume a ventilação do paciente com o ambu até que a conexão com o ventilador mecânico previamente preparado e a fixação do tubo seja feita.

Após a estabilização do paciente, o fisioterapeuta poderá avaliar melhor a posição do tubo através da radiografia e sua correção, se necessário.

Também irá ajustar os parâmetros da ventilação mecânica de acordo com a gasometria arterial e a clínica do paciente.

Referência Bibliográfica:

- Karan, Pedro. Intubação Endotraqueal: Uma Revisão da Literatura.
Compartilhar no Google Plus
Página dedicada à alunos e estudiosos da área da saúde, com competência e qualidade de conteúdo.
    Comentar com Facebook
    Comentar com Blogger

0 comentários:

Postar um comentário

Por favor, não utilize palavras feias. Obrigado.